SAIBA O QUE FAZER E O QUE EVITAR NA GESTÃO DA PÁGINA DA SUA EMPRESA NO FACEBOOK

Isso significa que empresas de qualquer porte – principalmente as pequenas – precisam saber explorar o ambiente online. De acordo com a diretora de empreendedorismo do Facebook para a América Latina, Camila Fusco, qualquer pessoa pode gerenciar uma página para ampliar as possibilidades do empreendimento.

O principal, explica, é entender o que quer fazer, como atingir as pessoas certas e como conversar com elas de maneira adequada.

Qual a importância de uma pequena empresa estar presente hoje nas redes sociais?

A mobilidade não é mais uma tendência, e sim um hábito no Brasil. A tela do celular é a tela mais pessoal, e os brasileiros passam horas por dia conectados por meio desse dispositivo.

No Brasil, são 117 milhões de pessoas utilizando ativamente o Facebook todos os meses, com mais de 90% pelo celular, e 45 milhões acessando o Instagram. Além disso, segundo a commScore, os brasileiros passam 30% do tempo online no Facebook e no Instagram, se conectando com o que mais importa para eles e isso também inclui marcas, produtos e serviços.

Ou seja, os clientes estão na plataforma. E eles consomem conteúdo móvel, navegam e têm com as empresas um relacionamento de maneira natural.

Em uma economia que mudou tanto nos últimos anos, é essencial que pequenas e médias empresas estejam onde os clientes estão, e por isso é necessário que elas tenham uma estratégia móvel. Em muitos casos, um negócio inicialmente incubado no Facebook consegue transpor a barreira do online e offline.

Um caso interessante é a Beth Bakery, uma padaria 2.0 que surgiu primeiro dentro da plataforma, e que a empreendedora conseguia anunciar os produtos para as pessoas no Facebook. Ela conquistou resultados tão positivos que acabou expandindo o negócio e montou inclusive uma loja física.

O que uma pequena empresa não deve fazer nas redes?

No Facebook, a presença mais básica é por meio de uma página, que é bastante diferente de um perfil.

Empresas e negócios precisam ter páginas, assim eles conseguem ter acesso a uma série de ferramentas para mostrar seus produtos e serviços para as pessoas certas. Então, a primeira dica do que não fazer é justamente usar um perfil em vez de uma página. Os clientes valorizam a conversa e uma postura mais consultiva.

Se o empreendedor tem uma loja de sapatos, por exemplo, não adianta tentar vender os produtos durante o dia todo. Em vez disso, trabalhe com uma linha de pensamento que ajude a mostrar valor na loja, sugerindo conteúdos que apontem quais roupas combinariam com aquela peça.

Outro ponto é estar aberto para conversar diretamente com as pessoas. Por isso, não checar a caixa de mensagens com regularidade é um grande erro.

Mesmo em um ambiente informal que busca uma proximidade com os clientes, é preciso estar sempre com uma comunicação bem elaborada, com autenticidade, sem postagens com erros, ou fotos mal tiradas que não retratam o produto.

É necessário que a empresa tenha um especialista em redes sociais e tecnologia?

Qualquer pessoa hoje tem total condição de gerenciar uma página, independentemente do tamanho da empresa. O Facebook apresenta inúmeras ferramentas para ajudar na construção e manutenção de qualquer negócio, seja o trabalho feito por um iniciante ou um gerente de mídias sociais.

É possível estar nas redes sociais com pouco investimento?

Mais importante que pensar em investir é ter uma estratégia que sustente o aporte. O pequeno ou médio empreendedor precisa entender o que ele quer fazer, como atingir as pessoas certas e como conversar com elas de maneira adequada.

O investimento deve ser interpretado como uma boa forma de aumentar a visibilidade sobre produtos e serviços disponíveis pela marca, uma vez que ela esteja sólida o suficiente, com um negócio bem estruturado.

Fonte: Pequenas Empresas Grandes Negócios

Informações Adicionais